Perfil do empreendedor brasileiro muda para melhor e ganha confiança

06/02/2013 23:04

Fonte: Graziela Azevedo, Jornal Hoje.

Pesquisa diz que empreendedores são mais jovens e com mais estudo.

Quase a metade da população gostaria de ser patrão de si mesmo.

Luan Gabelini e Felipe Cataldi têm 23 anos e são empresários há um ano e meio. A empresa deles tem 19 funcionários e 60 clientes. Os dois se conheceram na faculdade de administração. “Em alguns momentos a gente titubeou, porque o mercado financeiro tem remuneração agressiva, carreiras meteóricas”, diz Luan.

Os dois jovens são parte de um grupo que não para de crescer e de melhorar no Brasil: o dos empreendedores. Um levantamento feito ano a ano mostra que a chance de sucesso de quem abre hoje um negócio no Brasil é até maior por isso.

Pesquisa conjunta do Sebrae com a Fundação Getúlio Vargas mostra que, em 2002, 20,9% da população adulta estava envolvida com administração de um negócio próprio. Em 2012 esse número chegou a 30,2%. Um crescimento de 44% na taxa de empreendedorismo. “É a primeira vez que o sonho de ser empresário supera o sonho de ter um bom emprego formal”, garante Luiz Barreto, presidente nacional do Sebrae. Ele também afirma que o nível de escolaridade de quem se arrisca em novos negócios subiu bastante. Hoje 47% têm ensino médio completo; eram 29% há dez anos. “Hoje o empreendedor que está começando um negócio tem a escolaridade muito superior do que tinha seu pai, seu avô. Isso dá uma diferença grande. Informação e conhecimento são fundamentais para o sucesso do negócio”.

Hoje, 70% dos empreendedores começa a empresa porque identifica uma oportunidade de negócio e não por necessidade. Eles eram 42,6% em 2002. Segundo Marcelo Aidar, professor de administração e empreendedorismo (FGV), isso faz diferença. “A chance de ele conseguir criar um negócio mais robusto, que emprega mais pessoas, é maior. E isso é muito bom para a economia”.